segunda-feira, abril 03, 2006

Comentário ao "Ninguém sabe"


NINGUÉM SABE é o título (traduzido em português) de um filme baseado em acontecimentos reais. A acção passa-se na cidade de Tokio e o filme "fala" de crianças que vivem uma situação de abandono físico (menos evidente) e de abandono emocional ou psicológico, se quizerem. Este ultimo sim. Muito claro.
A bem da verdade o título até nem está mau de todo, pois na verdade ninguém sabia, nem ninguem vai saber em todas as outras situações semelhantes a esta que ocorrem diariamente em todas as cidade deste triste globo. As pessoas, de um modo geral, não sabem. Provavelmente até nem querem saber. É um tipo de realidade à qual se fecham os olhos.
Este fiulme coloca uma questão importante (em especial na actualidade): distinguir asdiferentes formas de violência exercida sobre as crianças. É que a população e as autoridades judiciárias, e até os institutos que deveriam estar atentos às crianças desprotegidas (Segurança Social incluída), apenas são sensíveis à questão dos maus tratos físicos (e mesmo assim é o que se sabe).
A situação do filme é bem explícita quanto a este ponto. Não se observam maus tratos físicos. As crianças não são agredidas. Nem são violentadas. Até vemos uma mãe carinhosa quando está em casa com os seus filhos. Imaginem que estavam em Portugal e ia uma assintente social observar a situação. Logo concluiria que estavamos perante um óptimo exemplo de mãe e que não havia nada a temer. Sabem porquê? Porque só as nodoasa negras é que contam para estas instituições.
As crianças não eram violentadas fisicamente, mas psicológicamente eram rebaixadas à insignificância, igualadas a um trapo roto que pode ficar por aí, a um canto qualquer. Psicologicamente a agressão é violentíssima, mas como essa não deixa marcas no corpo....
Filme brilhante, alarmante, e uma esperança. A violência psicológica sobre crianças pode ser uma realidade cruel. Olhem mais para estes casos.